“São Bento morreu deixando o exemplo de zelo pelas coisas de Deus”, afirma dom Eurico

No dia 11 de julho, a igreja celebra a memória de São Bento Abade, padroeiro da Europa. São Bento, nasceu em Núrcia, próximo a Roma, por volta do ano de 480 (d.C). Filho de família nobre, foi enviado a Roma para estudar, no período de decadência do Império. Porém, o jovem Bento abandonou os projetos com o declínio do Império, onde retirou-se para as montanhas da Úmbria a viver isolado em uma gruta, numa vida eremita, onde dedicou-se a oração, meditação e demais atos de exercícios para a santidade, permanecendo três anos anos.

O arcebispo emérito de Juiz de Fora, dom Eurico dos Santos Veloso, aponta que Bento inspirou outros jovens a cultivar os valores cristãos, onde através deste movimento e com o amadurecimento da ideia de fundar um mosteiro na região sul de Roma, ergueu o maior centro de vida Beneditina, o Mosteiro de Monte Cassino.

Medalha de São Bento

Medalha de São Bento

“Além deste, outros doze mosteiros foram fundados, difundindo a vida comunitária e a Regra de São Bento, onde esta era baseada nos ensinamentos escritos pelo próprio santo de acordo com os ensinamentos de Jesus Cristo, em que, a Regra, era aplicada e moldada de acordo com a capacidade e limitação de cada um”, diz dom Eurico.

São Bento, também é lembrado pela sua medalha, sendo um dos símbolos mais poderosos deste santo, onde é demonstrado a Cruz, onde fora muitas vezes usada pelo santo que evitou várias vezes a sua morte. “Um verdadeiro sinal da vitória da cruz sobre o mal e a morte”, aponta dom Eurico.

Morreu em 547, aos 67 anos, deixando o exemplo de zelo e amor pelas coisas de Deus: “Ouça, filho, os ensinamentos do Mestre; dê-lhe ouvidos com o coração; receba, com agrado, os conselhos de um pai que lhe quer bem, para se dirigir, com o rigor da obediência, Àquele do qual você se distanciou por causa da negligência e da desobediência”.

“Peçamos que o amor de São Bento nos impulsione a dar novos passos, sem medo, sem comodismo, sem preconceitos. São Bento, Homem de Deus, Pai do Monarquismo Ocidental, Homem da Igreja, Místico de ontem e de hoje, Pai amantíssimo dos pobres, a quem atendias à porta dos Mosteiros, Patriarca da Liturgia, Abade Eucarístico, rogue a Deus por cada um de nós”, exorta o atual arcebispo de Juiz de Fora, dom Gil Antônio Moreira.

Oração a São Bento

“A Cruz Sagrada seja a minha Luz. 
Não seja o dragão o meu guia. 
Retira-te satanás. 
Nunca me aconselhes coisas vãs. 
É mau o que tu me ofereces. Bebe tu mesmo o teu veneno.
Amém”.

Fonte: CNBB

Postagem:PASCOM Diocesana