Vaticano toma medidas para enfrentar o coronavírus

Primeiro caso de positividade ao COVID-19 foi verificado na quinta-feira no Vaticano. O Papa Francisco expressou sua solidariedade no Twitter.

Vatican News

“Esta manhã, foram temporariamente suspensos todos os serviços ambulatoriais da Direção de Saúde e Higiene do Estado da Cidade do Vaticano”, é o que afirma o diretor da Sala de Imprensa, Matteo Bruni, ao informar o primeiro caso de positividade ao COVID-19 verificado na quinta-feira num paciente. O Pronto-Socorro permanece em funcionamento

Bruni comunicou que a Direção de Saúde e Higiene está em contato com as autoridades italianas competentes e, enquanto isso, foram aplicados os protocolos de saúde previstos.

Através do Twitter, o Papa Francisco manifestou sua solidariedade neste momento de alerta:

“Desejo expressar novamente minha proximidade aos doentes do coronavírus e aos profissionais de saúde que os tratam, bem como as autoridades civis e todos aqueles que estão trabalhando para assistir os pacientes e deter o contágio.”

Saúde do Papa

Quanto à saúde do Pontífice, o diretor da Sala de Imprensa confirmou que o decurso do resfriado do Papa Francisco “procede positivamente” e que o Papa “continua a celebrar diariamente a Santa Missa e a seguir os exercícios espirituais, de acordo com os comunicados precedentes”.

Suspensas as atividades da Diocese de Roma

A Diocese de Roma está tomando as devidas providências, afirma Dom Pierangelo Pedretti, prelado secretário do Vicariato de Roma. Dom Pedretti comunicou a decisão de suspender até 15 de março todas as “atividades não sacramentais” ou seja “catecismos dos sacramentos para a primeira comunhão, cursos de preparação para o casamento, retiros e exercícios espirituais, peregrinações e atividades paroquiais em geral”.

Celebrações com medidas cautelares

As medidas predispostas referem-se ao decreto do governo italiano para enfrentar a emergência relacionada ao coronavírus. São consentidas as “celebrações litúrgicas semanais e festivas, desde que respeitem as medidas de precaução consideradas fundamentais pelas autoridades competentes, em particular manter um metro de distância entre as pessoas”. Sugere-se também que sejam “predispostas as celebrações ao ar livre” e os fiéis são convidados, na medida do possível, a participarem das celebrações nas igrejas maiores. Permanecem em vigor as indicações de dias atrás, ou seja: “receber a Eucaristia nas mãos, evitar o aperto de mão como gesto de paz e a retirada da água benta”.

A caridade continua

Além disso, determina-se que as visitas aos doentes continuem respeitando rigorosamente as condições de distâncias mínima e de higiene, utilizando máscaras e “limitando as ocasiões de interação com os doentes na administração dos Sacramentos”. Não devem ser interrompidas as atividades nos refeitórios solidários, acolhida aos sem-teto e os requerentes de asilo, mas sempre com muita atenção às indicações de segurança.

Fonte:Vatican News

Postagem:PASCOM Diocesana