19ª Assembleia Nacional do Serviço Pastoral dos Migrantes aponta para mais formação, incidência e articulação

Dom Mário e os compromissos da Igreja no Brasil com os migrantes. Fotos: Arquivo SPM

De 29 de novembro a 1º de dezembro aconteceu, em Luziânia (GO), a 19ª Assembleia Nacional do Serviço Pastoral dos Migrantes (SPM) com o tema: “Migração e Refúgio – rompendo muros, construindo pontes”.

O segundo-vice presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Mário Antônio da Silva, bispo de Roraima, foi escalado para participar do encontro. Na abertura, ele falou dos compromissos da Igreja no Brasil com as migrações, com destaque para o que foi abordado sobre migrações nas novas diretrizes da ação evangelizadora da Igreja.

Dom Mário lembrou também que a assembleia foi momento para dar início ao processo de celebração dos 35 anos de criação do Setor de Pastoral dos Migrantes, cujo ponto alto será em outubro de 2020. “Esta assembleia nos fez buscar novos caminhos para acolher, proteger e integrar os migrantes na Igreja no Brasil”, disse.

Uma mensagem em vídeo do arcebispo de Belo Horizonte (MG) e presidente da CNBB foi apresentada logo na abertura do evento. Dom Walmor manifestou a sua adesão ao caminho bonito da Assembleia do Serviço de Pastoral dos Migrantes. Para o presidente da CNBB, a Igreja no Brasil tem dado testemunho de acolhida aos imigrantes, especialmente aos venezuelanos, embora ainda não suficiente.

Em sua mensagem, o presidente da CNBB agradeceu ao SPM pelo testemunho e pelo serviço. “Como é importante este caminho. Afinal, nossa Igreja é casa da Palavra, casa da Caridade, casa da Missão e Casa do Pão. Por isso, somos comprometidos com o bem dos outros, sobretudo dos que sofrem mais. Quero dizer o quanto nos alegramos e estamos juntos para apoiar”, disse. Também participou da abertura da assembleia a professora Márcia Oliveira, da Universidade Federal de Roraima, abordando o tema: Migração e Refúgio na América Latina. As ações do Papa Francisco para os migrantes e refugiados foram apresentadas aos participantes.

Por meio da dinâmica “Carrossel”, as experiências de atuação do SPM nas regiões brasileiras foram apresentadas, seguidas de oficinas sobre diferentes aspectos do fenômeno da migração e refúgio: abordagem a partir das crianças, o que dizem os estudos bíblicos e os desafios pastorais.

Decisões e prioridades para o próximo quadriênio:

Com caráter eletiva e celebrativa, a 19ª Assembleia elegeu para os próximos quatro anos a nova direção que coordenará os trabalhos, entre eles dom José Luiz Ferreira Salles, bispo de Pesqueira (PE), como presidente, e o padre Alfredo Gonçalves como vice-presidente. O SPM planejou ações para três campos: formação, incidência e articulação.

No campo da “articulação”, o SPM buscará articular equipes locais, especialmente envolvendo a juventude. Na “incidência” vai intensificar ações de “advocacy” e a presença em conselhos de políticas públicas para salvaguardar os direitos do migrantes e refugiados; e no campo da “articulação” vai buscar fortalecer um trabalho em rede, em consonância com as diretrizes da Igreja no Brasil e uma espiritualidade encarnada na vida do Jesus migrante.

Fonte:CNBB Nacional

Postagem:PASCOM Diocesana